Wabi-Sabi e a beleza nas imperfeições

Wabi-sabi 侘寂 é a beleza das coisas imperfeitas e incompletas.
É a beleza das coisas modestas e humildes.
Das coisas não convencionais.”

Este conceito japonês, baseado na simplicidade e imperfeição das coisas – e até mesmo da vida -, vem do século XV e encontra sua base nos ideais de zen-budismo, principalmente na aceitação da impermanência.

Na decoração de ambientes é visto nas escolhas de materiais rústicos em contrates com áreas brancas, fibras naturais, tons terrosos, concreto, mix de texturas e principalmente com objetos com falhas e quebrados, ou mesmo o aproveitamento de espaços danificados com o tempo, assumindo suas falhas, suas imperfeições.

Segundo a tradição, quando algo sofre um dano e tem uma história, torna-se mais bonito. E quando se repara um objeto quebrado, estamos enaltecendo a área danificada preenchendo as fissuras.
Essa arte tradicional japonesa de reparação da cerâmica quebrada, é um bom exemplo. Eles reparam com pó de ouro, e é conhecida como Kintsugi – o resultado é que as cerâmicas não são apenas reparadas, mas tornam-se ainda mais fortes do que eram originalmente.

E em minha perspectiva, este modo de ver pode ir além: aplicado ao viver, torna a vida ainda mais bonita. Aceitar os erros, as falhas, as marcas que a vida nos dá, nos tornam mais fortes, mais belos e valorizam nossa própria história.

Afinal, a imperfeição é nada mais que uma forma de liberdade.

Créditos de fotos: Pinterest
Edição e manipulação de imagens: Thiago Vicente
Créditos de vídeo: Thejoyofplants.co.uk
Referências de pesquisa de texto: CASA VOGUE

 

〰️

Veja mais referências visuais para se inspirar: