Hygge: o segredo dinamarquês para ser feliz

Talvez esta seja a melhor definição de hygge: conforto e bem-estar aplicados à vida e ao dia-a-dia.
Algo acolhedor.

Este conceito nórdico, sem tradução exata, expressa as melhores emoções e sensações que podemos sentir – e que trazem felicidade. Mais do que um conceito, é uma atitude que se tem para a vida: buscar o aconchego, diminuir o ritmo, passar um tempo curtindo a família, os amigos, ou mesmo a si próprio, um momento, um silêncio. Se acolher.

O termo hygge (pronuncia-se “rîgue”, ou “hu-ga”) nasceu a partir da palavra norueguesa que significa “bem-estar”, e ganhou força e reconhecimento na atualidade, desde que seu país de origem, a Noruega, foi considerado o mais feliz do mundo, de acordo com o relatório anual da ONU (Organização das Nações Unidas).

Mas qual é o segredo da felicidade, para os noruegueses?
Simples, praticar de forma orgânica este conceito: acolher-se, cuidar de si e do outro, aproximar-se da alma. Além da cordialidade e das políticas de bem-estar social, claro.

Hygge pode ser amigos reunidos, ou a famíla, em um jantar à luz baixa, em uma linda mesa; ou mesmo você lendo um bom livro, em sua poltrona ou cama, em total silêncio.
Desapegar da vida e suas preocupações, estar presente, relaxar e se sentir inteiro, “em casa”.

É interessante dizer, por experiência própria, que este conceito está presente em tudo – no estilo de se viver, na forma de se decorar, e até mesmo no modo em que trabalhamos. Bastam boas escolhas: criar um ambiente acolhedor e confortável, com itens decorativos afetivos e que relembrem memórias; diminuir o ritmo e carga de trabalho, ou dedicar-se mais profundamente às tarefas, agradecendo-as, principalmente aos aprendizados diários.

Em O Livro do Hygge: O Segredo Dinamarquês Para Ser Feliz, o autor Meik Wiking explica em detalhes o conceito e, principalmente, como aplicá-lo a vida, criando os princípios básicos – o Manifesto Hygge (você pode baixar o manifesto criado exclusivo e adaptado aqui), que basicamente nos relembra do que é este sentir: tomar um café sem pressa, passar um tempo conosco, com quem amamos, apreciar um bolo ou uma bebida, apreciar uma música, criar um ambiente gostoso, cozinhar, arrumar tempo para nós.

É notável e real que precisamos despertar para o autoconhecimento e a tudo o que fazemos, pois a vida, de certo modo, perdeu seu sentido. Resgatar nossos valores, nossas emoções é preciso. É, sim, um chamado da alma, e que temos muito a aprender com os dinamarqueses – estes, que sabem disso há gerações.

Hygge não é para ser traduzido, é para ser sentido.

O segredo é se permitir. Viver intensamente cada segundo, estar presente de forma plena, simples e inteiramente, seja onde e quando for.
Agradecer.
E assim, ser cada vez mais feliz.

〰️

Veja o vídeo em que Chelsea Dinen conta um pouco sobre esse conceito.
Baixe o PDF do Manifesto Hygge para se inspirar, clicando no A4 abaixo.

 

Créditos de fotos: Pinterest
Créditos de edição, tradução e manipulação de imagens: Thiago Vicente
Créditos de vídeo: Chelsea Dinen
Referências de pesquisa de texto: Casa Vogue, BBC News, Hypeness, NBC News

〰️

Veja mais referências visuais para se inspirar: