Antroposofia: o equilíbrio entre a ciência e a espiritualidade

Em meu ponto de vista, a Antroposofia é uma estilo de vida, como uma filosofia baseada no equilíbrio entre a ciência e o espírito, como um meio termo; e apresenta como um caminho a busca da verdade e do que é essencial, ou seja, da nossa essência.

No aspecto mais teórico, Antroposofia significa ciência espiritual, criada por Rudolf Steiner, um filósofo educador austríaco, que determina o encontro da verdadeira essência do ser humano.

Basicamente ele divide cada ser humano em três partes: o nosso corpo físico, a alma e o espírito, algo mais conectado com o todo e o coletivo.

Dentro da Antroposofia existem ainda a Pedagogia Waldorf, que trata da educação de maneira humanidade a partir do individuo; a Euritmia, a arte e a fala através do movimento, principalmente do corpo; a Medicina Antroposófica, que parte da união da medicina convencional complementada com a medicina alternativa e pseudomedicina, com elementos do próprio corpo e da natureza; e a Agricultura Biodinâmica, que é muito semelhante à agricultura orgânica, mas inclui conceitos exotéricos, como os ciclos lunares, etc.

No curso introdutório em que realize em São Paulo, na SAB – Sociedade Antroposófica no Brasil, minhas percepções individuais são que a Antroposofia tem o objetivo de trazer mais clareza e consciência para a humanidade, para aprender, buscar, ensinar e inspirar o ser humano a ser cada vez mais humanizado, no sentido literal da palavra, para encontrar equilíbrio e harmonia, e também soluções para problemas coletivos e sociais.

Neste curso, aprendi que é na busca de quem somos é que encontramos a nossa essência, e parte disso vem da trajetória individual e o simples “olhar para dentro”, e claro, que sempre encontraremos mais perguntas do que respostas – pois esta é a magia da consciência.

E também aprendi boa parte da arte do educar, onde devemos educar para a vida, para individualidade em encontrar um sentido, nosso próprio caminho para a liberdade, ou seja, o desenvolvimento do ser humano sem dogmas e pré-conceitos.

De um modo geral, aprendi muito sobre Fenomenologia, a ideia que temos de Liberdade, Autonomia, os Quatro elementos (fogo, ar, terra e água) e suas conexões, os Quatro Reinos (mineral, vegetal, animal e o humano) e suas interconexões, e muitos outros conceitos que conectam de alguma forma a ciência que trata os fatos, com a conexão com a alma e a espiritualidade – o divino e a criação, ou seja, a natureza.

Por fim, acredito muito que é na Antroposofia um ótimo caminho para a humanidade evoluir em sua trajetória coletiva de crescimento, e se tornar ainda mais humana, conectada, consciente e bondosa, onde os valores bases essenciais são a fraternidade, o amor e a colaboração.

〰️

Segundo a Antroposofia, estas são as manifestações primárias do ser humano, que inspiram o jeito ação integrada:

Créditos de fotos: Medium.com
Edição e manipulação de imagens: Thiago Vicente

Referências de pesquisa de texto: Wikipedia e SAB