Meu armário cápsula essencial e funcional

Um armário cápsula, também chamado de guarda-roupa minimalista, é basicamente composto por poucas peças, mas todas funcionais, de boa qualidade, escolhidas de modo harmonioso e que represente o seu estilo pessoal – o que leva em consideração o seu dia a dia e lifestyle, e o principal: o que você ama e gosta de vestir.

Falar sobre roupas e o quanto a indústria da moda tem um peso no impacto social e no aumento do consumo fast, hoje em dia, é no mínimo necessário ao mesmo tempo que gera tabus.
E no mar de informações e trocas que a vida nos dá, em busca de consciência e conhecimento, fui sem perceber diminuindo meu ritmo em todos os aspectos da vida, e claro que isso refletiu no meu modo de me vestir, além do meu modo de viver. Nunca fui o tipo de pessoa que consome muito, mas por anos me vi perdido pelo fato de não me adequar aos formatos (geralmente grandes) e estilos de roupas; sem perceber fui me aproximando de temas como minimalismo e questões tão importantes, como “eu preciso disso?” ou “isso realmente sou eu?”, até chegar no conceito de armário cápsula – que gosto de chamar, particularmente, de armário essencial e funcional.

Basicamente a regra é simples: mantenha apenas o que você precisa, o que você usa de verdade e o que você ama.

Engana-se quem pensa que o armário cápsula é composto por uma paleta de brancos e pretos. Ele tem a ver com o que você gosta e o que representa sua personalidade, sua essência e sua autenticidade – o que você vê sobre você mesmo e o que você quer que as pessoas vejam.

No meu caso, entendi que meu estilo é baseado em tons naturais, e tenho grande preferência a cores mais terrosas e neutras. Por entender meu estilo pessoal e meu corpo, não posso usar cores escuras (pelo calor e suor) e devo usar tecidos mais nobres (para me sentir fresco e confortável). T-shirts básicas são elementos essenciais, e calças de corte reto. Camisas dão o toque elegante, além de polos casuais e de linho, e um blaser bem alinhado. Comprimentos e larguras são bem pensadas, além de – sempre que possível – escolher marcas brasileiras. Roupas de atividades físicas também entram no armário.
Os acessórios, essenciais: sapatos, cinto, relógio, óculos, chapéu e bolsas – uma mala de viagem resistente e de couro, e uma bolsa que diz muito sobre minha essência – típica dos moradores da região rural onde resido, em Minas Gerais.

Uma das várias vantagens é que ele otimiza o tempo, pois desta forma você tem mais dinamismo nas escolhas de looks no seu dia a dia.

 


Este é meu armário capsula: um guarda-roupa com itens do básico e casual ao elegante, tudo de forma sutil e leve.

 

Regras básicas para compor o seu:

– Avalie tudo o que você tem no armário, antes de mais nada. Ao invés de se prender em números, tenha sinceridade com você mesmo e o com o que precisa de verdade para manter no armário. O que sobra, vira um bazar ou doação.

– Priorize sempre a qualidade e faça as contas: o que vale mais a pena é sempre uma peça que dura e não aquela que precisa ser trocada a cada estação.

– Testes os looks no espelho ou mesmo em fotos. Um exercício é criar moodboards com as imagens.

– Sua personalidade é o foco: o que você gosta de ver em ti e quer mostrar para os outros?

– Pense sempre no que lhe faz bem. Um bom método de escolha, inspirado na na Marie Kondo é ver o que lhe traz real felicidade.

– Nas escolhas da peças, tenha em mente a praticidade. As peças devem ornar e combinarem entre si. Versatilidade é a ordem.

– Seja realista: leve em consideração tudo, como as atividades do seu dia a dia, trabalho, exercícios físicos e o tempo livre. Tudo isso influencia nas escolhas.

– Mantenha proporção: é melhor ter mais partes de cima do que de baixo, já que elas possibilitam um maior impacto visual.

– Tenha peças chaves, que permitem maior combinação. É inteligente ter partes de baixo mais neutras, por exemplo, para compor mais facilmente.

– Use a criatividade, mas com cautela. Criar uma paleta é interessante, e neste caso – se houver dificuldade – procure um profissional para auxiliar.

 


E estes são os calçados e acessórios: estilo para o dia-a-dia e itens indispensáveis para as viagens.

 

Logo, a principal regra para ter um armário cápsula é uma só: consciência.
Sobre si próprio, seu estilo pessoal, sobre a sociedade, o consumo, sobre as suas escolhas. Escolher bem.

Repensar a nossa relação com o consumo é a tendência cool. E entender como nossa roupas refletem o que somos e o que pensamos é a maior das tendências.

 

Aprenda mais sobre o tema com Vivi Cardinali, uma referência atual no assunto.
Se quiser se aprofundar e conhecer mais, há o Desafio Armário Cápsula, da Fe Cortez, do Menos 1 lixo nesta playlist.
〰️

 

Créditos de fotos: Thiago Vicente
Créditos de edição e manipulação de imagens: Thiago Vicente
Créditos de vídeo: Vivi Cardinali
Referências de pesquisa de texto: Marie Claire, Viva Decora, Myps, We fashion trands, Vivi CardinaliElhombre